The current Bet365 opening offer for new customers is market-leading bet365 mobile app You can get a free bet right now when you open an account.

Abril registra primeira queda em 2018 na Intenção de Consumo das Famílias em Cuiabá

Abril registra primeira queda em 2018 na Intenção de Consumo das Famílias em Cuiabá

O mês de abril registrou a primeira retração no ano da pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) em Cuiabá, realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada nesta quinta-feira (19/04), pela Fecomércio-MT. O índice foi de -6,4% em relação a março e chegou a 78,8 pontos. Apesar da queda, houve crescimento de 8,4% na comparação com abril de 2017, quando o índice atingiu 72,7 pontos. O estudo aponta que o índice segue abaixo da zona de indiferença, que é de 100 pontos e limite de 200.
A variação negativa mensal da pesquisa foi maior nas famílias que recebem até 10 salários mínimos (-7,7%) e chegou a 76 pontos em abril contra 82,4 pontos em março. Entretanto, se comparado com abril de 2017, o índice é 8,4% superior ao registrado na época (70,1 pontos). Para a faixa de renda das famílias que recebem acima de 10 salários mínimos, houve aumento de 3,6% na intenção de consumo em abril sobre o mês anterior e de 8,2% na comparação com abril do ano passado.
Para o presidente da Fecomércio-MT, Hermes Martins da Cunha, a expectativa enquanto ao desempenho da economia em 2018, que apontam para uma taxa do PIB de +2,8% e de +3,0% para 2019, demonstra que ao longo de 2018 pode-se esperar que a ICF se mantenha em crescimento ante os mesmos meses do ano passado. “É normal que haja oscilações durante o ano por causa da lenta recuperação do mercado de trabalho e da cautela do consumidor quanto ao consumo”, explica Hermes.
Perspectiva de consumo tem maior retração
Todos os componentes da pesquisa apresentaram retração em abril sobre o mês anterior, dentre eles, o que avalia o Momento para aquisição de duráveis (eletrodomésticos, TV, som, etc) teve a maior queda (-11,3%). Já o que acompanha a Perspectiva de Consumo teve retração de -7,4% de um mês para outro. O Nível de consumo atual também foi 4,3% menor na comparação com o mês anterior da pesquisa.
Expectativa continua bem otimista para o futuro
Mesmo assim, Hermes confirma a expectativa de crescimento da economia nacional, em especial para o Estado, em 2018. “A baixa inflação, combinada com a taxa de juros menor já registrada na série histórica, nos faz acreditar em um crescimento de 5% nas vendas para o comércio varejista para este ano e um 2019 ainda melhor”, concluiu o presidente.